Tela Brasil – O portal de formação e informação sobre o universo audiovisual » Blog Archive » Cineclube promove sessão sobre empoderamento das mulheres negras

Cineclube promove sessão sobre empoderamento das mulheres negras

Redação TelaBr - 14.11.2016

O cineclube AfroeducAÇÃO foi criado pela necessidade de valorizar a produção do cinema negro brasileiro. O principal objetivo do projeto é promover a troca de conhecimento entre os participantes, direcionado principalmente aos educadores interessados na aplicação da lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira na educação básica.

O empoderamento negro feminino é tema da próxima sessão AfroeducAÇÃO no Cinema, no sábado (19). Serão exibidos os curtas “Mulheres Negras: Projetos de Mundo”, de Day Rodrigues, “Kbela”, de Yasmin Thayná, e “Mwany”, de Aline Jardim. Após a apresentação, uma conversa com as diretoras mediada pelo jornalista e ativista Nabor Júnior.

Sessão de Cinema “AfroeducAÇÃO”

Quando: 19 de novembro

Onde: Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569. São Paulo.

Entrada franca.

Outras informações estão disponíveis na fanpage do evento.

No mês da consciência negra, São Paulo recebe mostra em homenagem ao cinema africano 

O Caixa Belas Artes recebe, em novembro, mês da consciência negra, a mostra África(s). Cinema e Revolução, uma homenagem ao cinema criado no contexto de independência e revolução dos países africanos. A programação segue até o dia 23 e tem 39 produções entre curtas e longas-metragens.

Dentre os títulos, produções inéditas no país como “Monangambee” (1968) e “Sambizanga” (1972), de Sarah Maldoror, baseados nas obras do escritor angolano José Luandino Vieira. Outras atrações foram exibidas em ocasiões muito raras, como “25”, de Zé Celso e Celso Luccas, em cartaz apenas na primeira edição da Mostra Internacional de Cinema de SP, em 1977. Algumas das produções serão exibidas em 35 mm, como “Xime” (1994), do guineense  Sana Na N’Hada, “Árvore de sangue” (1996), de Flora Gomes, também da Guiné-Bissau, e “Tabu” (2012), do português Miguel Gomes. Da produção africana mais recente, um dos destaques é o filme “Na cidade vazia” (2004), de Maria João Ganga. Foi o segundo filme feito em Angola depois da independência e o primeiro feito por uma mulher no país. Há também o premiado “A República dos Meninos” (2012), de Flora Gomes.

Estão confirmadas as presenças no festival de nomes como Ruy Guerra, que filmou em Moçambique nas décadas de 1970 e 1980; o moçambicano Camilo de Sousa e o guineense Flora Gomes; além da portuguesa Raquel Schefer, que vem trabalhando a memória colonial através de arquivos familiares, e do francês Mathieu Abonnenc, que também se dedica ao imaginário colonial e pós-colonial. A historiadora Vavy Pacheco, especialista na obra de Ruy Guerra, também estará presente. Serão promovidas, ainda, duas oficinas gratuitas sobre Memória e Audiovisual: no dia 12, com a cineasta convidada Raquel Schefer; no dia 19, com a documentarista e pesquisadora Lilian Solá Santiago, criadora e diretora da Casa da Memória Negra de Salto.

Mostra “África(s). Cinema e Revolução”

Onde: Caixa Belas Artes (Rua da Consolação, 2423 – São Paulo)

Quando: 10 e 23 de novembro de 2016

Entrada: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Ingresso passaporte: R$ 30,00.

Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia .

Informações: (11) 2894-5781 ou no site da mostra

Itaú Cultural promove workshop sobre audiodescrição

A artista britânica Zoe Partington ministra um workshop sobre audiodescrição – faixa narrativa que permite a inclusão de pessoas cegas ou com deficiência visual. A atividade será realizada entre os dias 9 e 10 de dezembro, no Itaú Cultural, em São Paulo. O workshop gratuito faz parte da programação do “Entre Arte e Acesso”, ciclo sobre acessibilidade nos campos da arte e da cultura.

O curso consiste em uma explicação teórica e conceitual sobre os fundamentos e princípios da audiodescrição. Os participantes também serão instruídos a desenvolver abordagens para descrever diferentes tipos de trabalho, como peças de teatro, filmes e exposições.

Zoe Partington é uma das diretoras da Architecture Inside Out (AIO) – organização que desenvolve arte em colaboração com artistas com deficiência a fim de explorar a acessibilidade em lugares públicos.

As inscrições abrem no dia 16 de novembro e vão até o dia 1º de dezembro. Há 30 vagas disponíveis e os selecionados serão divulgados no dia 5 de dezembro. Para participar é preciso se inscrever pelo telefone (11) 2168 1876 ou pelo email atendimento@itaucultural.org.br.

Workshop sobre audiodescrição com Zoe Partington

Quando: 9 e 10 de dezembro

Onde: Avenida Paulista, 149 – São Paulo

Evento gratuito

Outras detalhes, aqui.

Textos Relacionados

Comentários

Não há comentários no momento.

Envie seu comentário