Texto - Sala de Roteiro

Saiba Mais

UM POUCO MAIS DE SUSPENSE


1 - INT. QUARTO DE GARDÊNIA – NOITE

GARDÊNIA abre uma gaveta de sua penteadeira. Gardênia retira uma pilha de cartas em envelopes antigos, amarelados.

Gardênia senta na beirada da cama. Lentamente, passa envelope por envelope diante dos olhos. Ao segurar um envelope de papel pardo, Gardênia para subitamente. Gardênia olha fixamente para o envelope.

CORTA PARA

2 - INT. SALA DE VISITAS DO HOSPITAL – DIA

CHARLES está sentado em uma mesa, escrevendo com um toco de lápis sobre um papel pautado.

Gardênia, mais jovem, está sentada à frente de Charles.

GARDÊNIA
O senhor não vai falar nada?
CHARLES
Eu estou escrevendo.

Charles continua escrevendo, rapidamente. Uma lágrima escorre no rosto de Gardênia.

CORTA PARA

3 – INT. QUARTO DE GARDÊNIA – NOITE

Gardênia olha fixamente para o envelope. No envelope, lê-se: De Charles. Hospital Psiquiátrico de São Pedro, Ala 1, quarto 52.

Gardênia abre o envelope. Retira dali uma carta. Na carta, lê-se: 7 de abril de 2003, Querida Filha.

Gardênia lê a carta concentrada.

Gardênia se assusta com o ruído do rádio relógio, que, subitamente, dispara tocando uma canção.

O rádio relógio mostra: 0:00h / 7 de abril de 2008.

Uma lágrima escorre no rosto de Gardênia. A lágrima mancha o papel da carta.

FIM

Nessa pequena seqüência vale a pena observar: como foi trabalhada a ideia de que se passaram cinco anos? Como o “Gardênia lembra-se” foi traduzido para imagens? Como foi dada a informação de que a carta que Gardênia lia era de seu pai? Essas informações foram passadas todas ao mesmo tempo ou houve algum suspense? O roteirista, meio camuflado, dirige o filme também? Nada de respostas agora. Mais um pouco de suspense não faz mal a ninguém.


Texto: Henry Grazinoli